julho 2008


Vejam que bacana no Instituto Akatu:  Maslow não conheceu a sociedade do consumo. 

O supérfluo tornou-se necessário, o estilo de consumo é mais importante para a identidade social do que a familia e a profissão, a Neofilia (novidades) e a Oniomania (compras) são cada vez mais comuns. Neste contexto, seria preciso reinterpretar Maslow?

http://www.akatu.org.br/central/opiniao/2008/maslow

Anúncios

Coisa que sempre achei injusta é ter que pagar por mim e por outro condômino que está inadimplente, então os que estão envolvidos neste tipo de dívida que me desculpem, mas a-do-rei esta lei que permite protestar boletos de aluguel e condomínio.  http://imoveis.imovelweb.com.br/web/editorial/ver_artigo.aspx?ArtigoId=5362

Aprenda a economizar na decoração sem perder qualidade – móveis, pisos, objetos, espaços  http://imoveis.imovelweb.com.br/web/editorial/ver_artigo.aspx?ArtigoId=5162

Algumas notícias boas, enfim:

Executivo brasileiro é mais bem-remunerado do que os americanos e europeus que atuam no Brasil. Ele também está entre os mais requisitados no mercado internacional, já existem mais de 2 milhões de brasileiros trabalhando legalmente no exterior.

 Brasil registra mais um recorde na geração de empregos, mais de um milhão só neste ano, especialmente no setor de serviços.

“Dá-se muita atenção ao custo de se realizar algo. E nenhuma ao custo de não realizá-lo.” 

“Lucro é subproduto das coisas bem-feitas.”

Vídeos com casos de dívidas. Começam sendo tratados como reis, comemorando e cheios de certeza de que fizeram um bom negócio…  Depois vem o prejuízo, preocupação, brigas, humilhação, perda de tempo e todas as outras complicações…

Carro novo à prazo – Um Sonho que Pode Virar um Pesadelo  http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM860634-7823-CARRO+NOVO+A+PRAZO+UM+SONHO+QUE+PODE+VIRAR+UM+PESADELO,00.html

Os perigos Gerados pelo Crédito Fácil  http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM860619-7823-OS+PERIGOS+GERADOS+PELO+CREDITO+FACIL,00.html

IMPERDÍVEL:  Confira erros na gestão das finanças que podem “quebrar” até os milionários  http://web.infomoney.com.br//templates/news/view.asp?codigo=1235704&path=/suasfinancas/ 

Emprego: número de vagas no interior cresce mais que em regiões metropolitanas  http://web.infomoney.com.br//templates/news/view.asp?codigo=1235882&path=/suasfinancas/  O levantamento demonstra que foram criados, no mês de junho, 164.650 novos postos de trabalho no interior de nove estados – Pará, Ceará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, contra 83.635 nas áreas metropolitanas.

Dia dos Pais: falta de informação pode levar consumidor a gastar mais  http://web.infomoney.com.br//templates/news/view.asp?codigo=1235835&path=/suasfinancas/

Em 7 anos, alta no preço da feijoada é quase o dobro da inflação no período  http://web.infomoney.com.br//templates/news/view.asp?codigo=1236314&path=/suasfinancas/  No período, o IPC apresentou variação de 69,41%, enquanto o prato preferido do sábado, avanço de 136,51%… O feijão preto e o arroz foram os ingredientes que mais subiram, com elevações de 248,42% e 146,76%, respectivamente.

considero este artigo uma pérola do Aldo Novak:

Você está sempre certo.
“SE VOCÊ ACREDITA QUE PODE, VOCÊ TEM RAZÃO. SE VOCÊ ACREDITA QUE NÃO PODE, TAMBÉM TEM RAZÃO”  Henry Ford

Vivemos em um mundo de ilusões e interpretações que acreditamos serem realidade. Como os personagens de Matrix, jamais vemos as coisas realmente como elas são.  por Aldo Novak

Antes de Henry Ford, criador da indústria automobilística moderna e da linha de produção, todos os fabricantes de carros achavam que não poderiam fabricar veículos baratos em série, que não poderiam ganhar dinheiro assim, que não poderiam fazer suas indústrias crescerem. Era uma “fantasia”, uma crença limitadora na qual todos apostavam. Ford tinha uma fantasia diferente, uma crença libertadora de que ele poderia vender carros mais baratos, poderia ganhar dinheiro, poderia fazer sua indústria crescer. E ficou multimilionário por acreditar nisso, e agir para isso dar certo, levando os concorrentes arrogantes à falência e vendendo carros para os próprios funcionários e suas famílias — o que todos diziam ser impossível.

Quando acreditamos em alguma coisa, não importa se tal coisa é real ou não, nos comportamos com base na crença, jamais com base na realidade. Isso acontece porque nosso cérebro procura “provas” para tudo aquilo em que acreditamos, ou somos ensinados a acreditar. A maioria das vezes são provas circunstanciais e racionalizações sem lastro, mas para nós são provas incontestáveis da realidade e, portanto, não vemos tais coisas como “crença”, mas como fatos — embora não o sejam.

Assim, se você acredita que pode fazer algo, ser algo, viver algo, sentir algo, ter algo, sua mente obedecerá e buscará este “algo” sem questionar porque pensará que isso é a realidade. Mas se você acredita que não pode fazer algo, não pode viver algo, não pode sentir algo ou não pode ter algo, sua mente também obedecerá sem questionar, por entender que essa é a sua realidade, por achar que suas limitações são externas à você. Claro que você não notará, mas sua mente sabotará qualquer coisa que vá contra aquilo em você acredita.

Acreditar é uma bênção ou um pesadelo. A maioria das pessoas acredita em “crenças limitadoras”. Acreditam que não podem aprender uma matéria na escola ou uma nova função na empresa (pensam que não são inteligentes, jovens, bonitos, ricos… o bastante), acreditam que não podem encontrar um amor de verdade (pensam que não merecem, não sabem ou não existe tal amor), acreditam que não podem ganhar dinheiro (pensam que dinheiro é algo errado ou que é pecado ter), acreditam que não podem fazer nada para ajudar outras pessoas (pensam que são muito frágeis ou pobres para fazer qualquer mudança no mundo), acreditam que não conseguirão vender mais (acreditam que vender é empurrar algo que alguém não deseja ou não precisa)… e assim por diante.

Pensam que estão analisando a realidade, quando na verdade apenas reagem àquilo em que acreditam.

Então, se acreditamos que podemos fazer algo, a realidade não importa? Claro que importa. Acreditar que você pode bater asas não muda as leis da física e você cairá como uma pedra, mas por que aceitar uma crença limitadora quando podemos adotar uma crença libertadora? É comum escutar: nem sempre o otimismo ajuda, mas o pessimismo sempre atrapalha. Quando temos crenças libertadoras, nosso limite é a realidade. Quando temos crenças limitadoras, nosso limite é nossa própria crença.

Aleijadinho acreditava que podia esculpir, mesmo sem as mãos. Beethoven acreditava que podia compor, mesmo surdo. Cora Coralina acreditava que podia escrever poesias, mesmo sem “ser estudada”. Eles tinham crenças libertadoras.

Você não é aquilo que acredita ser ou que disseram que você é. Você é muito mais. Entre duas crenças, escolha sempre aquela que liberta você para ser uma pessoa melhor, mais feliz, mais completa e mais realizada. Pode até ser que sua crença libertadora não seja real, mas você só saberá disso se testá-la. Escolha seus pensamentos e crenças com cuidado, porque você terá que obedecer tais pensamentos e crenças por toda a sua vida.

Próxima Página »