A revista Vida Simples fala sobre os laços que nos afetam, explicando a teoria dos 6 graus de separação e outros estudos que foram feitos provando que influenciamos e somos influenciados pelos outros. Ela também coloca as crenças em xeque, assunto sempre pertinente.

Poucas pessoas vivem realmente isoladas, a maioria de nós causa impacto no ambiente e sofre influência dele. Cada vez que prosperamos, nossa família é beneficiada, não apenas pela parte financeira diretamente, mas pela tranqüilidade, além de gerarmos empregos, por exemplo. A cada crise que atravessamos, acabamos sem querer levando outras pessoas junto, ao tentar resolver nossos problemas muitas vezes acontece de criarmos problemas para quem está próximo, justamente aqueles que estimamos. Isso frequentemente resulta em brigas, separações e desentendimentos.

“Efeito manada” é o termo usado para um indivíduo que imita as ações de um grupo maior, porque admira os resultados deste grupo ou simplesmente porque está inserido nele.  Errar sozinho parece mais estressante do que errar acompanhado, ser diferente pode provocar rejeição e até exclusão do grupo e solidão.  A maioria dos seres humanos gosta de sentir-se parte de algo maior, uma comunidade, e sente-se constrangido em assumir posturas contrárias ao padrão.

Claro que existe diferença entre uma equipe e um simples grupo de pessoas.  Na equipe, cada um está em seu melhor lugar, exercendo sua capacidade e interrelacionando-se com os outros integrantes em sinergia, aprendizado e trocas. Neste caso, o objetivo do grupo não sufoca a identidade de cada um, pelo contrário, a desenvolve ainda mais.  Talentos e habilidades natas terão a oportunidade de lapidar-se até atingir a excelência, o máximo do seu potencial. Por exemplo, uma família unida.

Uma pessoa convincente que tenha seus “achismos” e teorias sobre as finanças, pode influenciar várias outras ao seu redor, não pela precisão dos dados, mas pela maneira persuasiva que os comunica.  As crenças mais destrutivas, os preconceitos mais incorretos, os medos mais paralisantes, podem ser trazidos a nós justamente por aqueles que amamos.  Ainda que tenham boas intenções como alertar e prevenir, por se importarem de verdade, eles próprios estão enganados e, portanto, sem condições de ajudar.

A plenitude da saúde financeira pode ser diferente para você e para o seu vizinho. Se você seguir os passos dele, ainda que ele obtenha sucesso, você pode não “chegar lá” porque não é do seu estilo, perfil de risco nem modelo mental.  Procure o seu próprio caminho para atingir o sucesso na justa medida dos seus valores, desejos e necessidades.

Anúncios