Cliente minha mudou de uma mansão para um sobrado comum (e alugado), em um bairro vizinho e de mesmo perfil, pertinho da escola. Ela simplificou e ganhou muita qualidade de vida, ganhou tempo e economizou dinheiro. Vejo frequentemente uma tendência de querer morar em imóveis grandes sem ter um real motivo para isso, mas nem sempre vale à pena e complica bastante a vida. Agora ela tem menos assuntos para cuidar, menos empregados, menos trânsito e mais tranquilidade – não precisa ser definitivo, mas já deu um fôlego.

No vídeo do TED, Graham Hill fala que menos pode muitas vezes significar mais, menos coisas e mais felicidade.

Você está feliz com a sua profissão? E com o seu salário? O final de ano convida à um balanço, veja o que dizem algumas pesquisas sobre a felicidade de cada profissional. Interessante é cruzar estes dados com a renda e o nível de stress de cada profissão…

Bem diferente de Cingapura da edição anterior, o Globo Repórter de 20/05 mostrou o Butão, que também tem muito a ensinar! Lá a felicidade é levada a sério, foi criado até um departamento para garantir que a FIB – Felicidade Interna Bruta – seja um índice priorizado em relação ao PIB, assim como a harmonia. O reino do Butão era bem isolado e vivia na base da troca até cerca de 60 anos atrás, nele há muitos camponeses simples e a maioria é budista. O governo mede a felicidade por 23 critérios, como saúde, uso do tempo e família.

Se preferir assistir pelo Youtube, este é o primeiro vídeo:

Quais são os países com maior índice de bem-estar, onde as pessoas vivem melhor?

O Gallup mostra o mapa da felicidade, com países escandinavos em alta e o Brasil em 15º lugar.

Uma das coisas que a maioria das pessoas felizes tem em comum é gostar do que tem e dar valor às pequenas coisas.

Só que estamos expostos a milhares de propagandas por dia que nos dizem claramente ou insinuam o contrário. Somos atraídos para a novidade, seduzidos pela perfeição, induzidos ao prazer do consumo e levados a acreditar que temos coisas antiquadas e uma vida sem graça. Com isso, tanto afeto desprezado, tantas belezas naturais desperdiçadas.

Faça uma lista das coisas boas de 2010: habilidades desenvolvidas, conquistas, momentos divertidos, sonhos realizados, novos amigos, projetos concluídos, elogios e reconhecimentos, as coisas pelas quais você é agradecido, as coisas que você já tem em abundância! Dê valor ao que você tem – coisas, pessoas, animais, lugares, características suas.

Estou fazendo uma enquete com meus clientes e alunos, se vocês puderem fazer a gentileza de responder seria ótimo!

Quais seriam os números que dariam pistas da felicidade de uma pessoa?

a revista Vida Simples é toda diferente, até nas ilustrações, mais limpas e … simples.

Projeto Felicidade começou quando a advogada americana Gretchen Rubin resolveu ser feliz e fazer tudo o que pregavam como sendo receita de felicidade. Ela diz que  “Desde que seja gasto com sabedoria o dinheiro pode sim trazer felicidade.” O blog faz 4 anos e ela está de férias, mas vale à pena ler (é em inglês).

Todo mundo quer ser bom
Você realmente acha que sabe distinguir o bem do mal? Ou é tão fácil assim separar uma coisa da outra? Algumas luzes podem nos ajudar a enxergar melhor essa diferença na hora de decidir qual atitude tomar

Esta foto é de uma interessante Moradia coletiva, como uma república de estudantes na França feita de containers.

André Ccomte-Sponville – Entre o luxo e a justiça – Essa é a escolha que a nossa geração deverá fazer para salvar o planeta, afirma o pensador francês

Simplicidade – Há, de fato, diversas maneiras de ser simples?

Ah, sim, a matéria sobre alimentação desintoxicante ousa questionar várias crenças e costumes com uma frase que achei de alto impacto: “A doença nos indica que algo está errado. Deveríamos enxergá-la não como uma inimiga que deve ser combatida, mas sim como uma amiga sincera, que tem coragem de nos dizer que alguma coisa está errada.”