Se você está organizando os seus documentos e acha que tem comprovantes demais, exija o comprovante anual que substitui os 12 outros.

Todo mês de MAIO as pessoas devem receber dos fornecedores públicos ou privados um único comprovante, ficando assim um por ano para cada empresa – energia elétrica, telefone, etc. Com eles você pode provar que pagou tudo direitinho e não tem nenhuma pendência.

Veja os detalhes do comprovante anual e os dados atualizados de por quanto tempo guardar cada documento no site do Idec.

Anúncios

Mais usos para o rolinho de papel higiênico, coisa que temos em abundância em nossas casas e empresas.  Além de transformar-se em caixinha de presente e flores como vimos aqui, ele é um excelente organizador.
Serve para guardar rolos de papel de presente, cartolina ou mapas. Cabos em uso pendurados ficam alinhadinhos, cabos guardados separadamente arrumadinhos dentro de uma caixa. Meias, calcinhas, cuecas, miudezas diversas podem ser organizadas nas gavetas com rolinhos dentro. Relógios e pulseiras se encaixam nele e colando um no outro podemos fazer ótimos porta lápis ou maquiagem.

Uma das atitudes que nos ajudam a reduzir o desperdício é a organização. Acompanhe o blog Organize Assim com lindas fotos e ótimas ideias e algumas dicas minhas:

* Estoque precisa ser gerenciado e há vários jeitos de fazê-lo. Você já viu como funciona o controle de estoque de uma loja ou indústria? Use um modelo simplificado em sua despensa. Eu gosto da lista fixa permanentemente na geladeira ou na própria despensa, para qualquer pessoa anotar o que precisa / está acabando, podendo combinar um símbolo para urgente, como grifar o item. Simples e funcional, pode ser substituída a cada ida ao supermercado.

* Quanto mais gente na casa, mais complexo o gerenciamento: para algumas pessoas, fartura = oba, posso comer mais; para outras, fartura = ufa, posso respirar aliviada, etc. O tipo de alimentação, quantidade e horários normalmente são diferentes entre os moradores da casa, então a lista deve ser feita e paga por todos ou cada um faz a sua compra. Já vi casos (especialmente entre amigos que dividem um teto) de ser tão difícil chegar a um consenso que tudo ficou completamente independente, até mesmo uma prateleira por pessoa na despensa e na geladeira.

* Cuidado com o consumismo também no supermercado: quem sabe a situação atual do estoque não compra demais e quem planeja o cardápio da semana / mês também não se esquece de nada. Está muito barato e é uma grande oportunidade? Mesmo assim pense bem, sempre há outras coisas legais e produtivas para se fazer com o mesmo dinheiro… Jogar comida fora é tão ruim quanto sair correndo desesperada e pagar mais caro, ambos são desperdício.

* Escolha pela qualidade e não só pelo preço, pela saúde e não só pelo sabor, pela responsabilidade social da empresa alimentícia e não só pelo marketing, escolha o conteúdo e não a embalagem, leia os ingredientes e a data de validade. Dê preferência a alimentos mais frescos, da época e de fornecedores locais.

Ainda que você enxergue muito bem e não esteja sobrecarregando os seus olhos, recomendo que de vez em quando dê um descanso à sua visão e use outros canais. Abra a sua mente para explorar todo o potencial normalmente desperdiçado de sua audição.

GRAVADOR E FILMADORA

Registre rapidamente as boas ideias antes que elas escapem.

Leia números que terá que digitar ou passar de um lugar para o outro (quando não for possível copiar+colar, digitalizar, nem fazer fotocópia) e depois ouça, como você ditando para você mesmo.

Leia sua lista de tarefas do dia e depois ouça na hora de executar, como você dando ordens a você mesmo.

Ande pelo imóvel que precisa de reformas com a filmadora ou gravador comentando os pontos críticos.

CDs COMERCIAIS

Estude e enriqueça a sua cultura ouvindo CDs de línguas, de autoajuda, audiolivros, etc.

PODCASTS e RÁDIO

Ouça online ou baixe podcasts com notícias, artigos e várias coisas interessantes que se encontra hoje na Internet. O jornalismo do rádio é um pouco diferente, uma forma de se manter bem-informado diversificando o canal.

A revista Vida Simples descreve uma experiência de descartar 50 coisas em 2 semanas, no artigo Desapego na Marra. Amei e destaco o trecho abaixo:

“O que não tinha percebido ainda é que descartar parte de sua vida revela tantas coisas com relação a si mesmo quanto várias sessões de terapia. Aquilo que você guarda e o que joga fora, assim como o que compra ou deixa de comprar, é um espelho que reflete fora o que você pensa e sente por dentro. “

O que fazemos quando somos interrompidos por alguém durante uma atividade importante? A reação mais comum é a de não parar totalmente de fazer o que estávamos fazendo e oferecer meia atenção, um só ouvido, o canto dos olhos ou alguns cliques em meio a outros… Enquanto isso, ingenuamente imaginamos dar conta de tudo e ser multitarefa, como um computador. Sabemos que não podemos parar e sentimos que também não podemos deixar a pessoa ali esperando, então tentamos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Aí começa a confusão!

A pessoa que nos interrompe pode estar realmente precisando da nossa atenção e sentir-se incomodada por não  recebê-la toda. Se o assunto dela for super importante (para ela) isso pode abalar o relacionamento, a nossa imagem ou fazer com que ela volte a falar no mesmo assunto novamente em outro momento. Ainda que o assunto seja banal, todos esperam ser tratados com o máximo de atenção e ninguém gosta de esperar.  Tente fazer isso com uma criança e verá uma situação de crescente ansiedade dos dois lados… O pior é se a pessoa falar mais à vontade, por não sentir que está incomodando, já que você “continua trabalhando”.

Nossa atividade não renderá o mesmo resultado, mesmo que consigamos reduzir a voz dela a ruídos de fundo, a qualidade do trabalho não será igual e podemos até nos distrair e fazer alguma besteira. Eu neste tipo de situação já fiz várias, como sair de um arquivo sem salvar por exemplo…

Agora, se tanto a tarefa do momento quanto o assunto que chega não tiverem grande importância, aí sim vale fazer os dois juntos. Esta situação pode se repetir muitas vezes ao longo do dia e algumas delas permitem a multitarefa sem prejudicar nem um nem outro. Só que isso pode também nos roubar um bocado de tempo. Acho que vale sugerir educadamente um bom-senso às pessoas que nos interrompem demais e talvez não estejam percebendo o excesso… Ou talvez o excesso seja nosso, quem sabe não estejamos nos ocupando demais?

Sugestões que uso ou já usei: 

  • evitar, dentro do possível, facilitar situações assim;
  • trabalhos importantes devem ser devidamente documentados e de preferência executados com privacidade;
  • atividades que exigem concentração e coordenação motora, como dirigir, devem ser priorizadas;
  • questionar a real necessidade de se estar 24×7 disponível, online, interrompível, etc;
  • também não dá para cair no estrelismo e negar tudo a todos;
  • se puder delegar ou ter uma assessoria que filtre e-mails, ligações, etc, talvez seja útil para reduzir as suas interrupções;
  • anotar onde parou, tentar manter o que der para manter do trabalho que estava sendo feito e…
  • interromper de verdade – parando, desconectando-se e olhando para a pessoa;
  • em alguns casos, procurar saber do que se trata e pedir para retomar o assunto mais tarde – e procurá-la mesmo assim que possível;  
  • às vezes é melhor começar a agir imediatamente e deixar a atividade inicial para depois.

Estou lendo e adorando o livro Mais Tempo Mais Dinheiro

A revista  VOCE  S/A  publicou uma matéria falando sobre os ciclos da frustração, da sobrevivência e da prosperidade:

Como ter mais dinheiro e mais tempo, segundo Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa