Vai presentear com docinhos? Veja uma rápida comparação de produtos da Cacau Show:

linha_pannetones-panettone-com-trufa-de-avela-e-gotas-de-chocolate-750g-d1-leChocotone 500g R$ 17,00 = R$ 0,03/g

Panetone recheado e coberto 750g R$ 42,90 = R$ 0,06/g

Barrinha 55% cacau 20g R$ 1,25 = R$ 0,06/g

Caixa de bombons champagne 350g R$ 24,90 = R$ 0,08/g

Tablete gourmet morango 30g R$ 2,90 = R$ 0,10/g

Os panetones recheados se fossem para nosso próprio consumo eu didira que estão caros demais, é tão fácil cobrir e rechear um panetone ou chocotone… Barras de chocolate e bombons são mais trabalhosos para encontrar os ingredientes e fazer.

Vejam que sugestões interessantes de presentes que não viram tralha do blog Um ano sem compras.

Apesar do nome do blog – que vale ler com calma a experiência – o post é sobre presentes que você compra sem jogar dinheiro e tempo no lixo.

conjunto escritorio artesanalSe você for presentear neste natal, que tal fazer pelo menos um de seus presentes artesanal? Ou quem sabe alguns pratos da ceia ou decoração da casa?

Será que tudo tem que ser comprado / contratado? Criar pode ser divertido e reunir as pessoas em torno de uma atividade diferente.

Rosely Sayão ousa sugerir que os pais façam o presente dos filhos!

Vila do Artesão mostra como fazer 10 presentes artesanais e Criatividade em Movimento mostra mais alguns.

Family Education tem ideias para artesanato com crianças pequenas  e  jogos (para variar um pouco do vídeo game) com adolescentes.

Nesta época do ano o planejamento é mais importante do que em períodos normais.  Eu sempre alerto para tomarem cuidado com o consumismo quanto à quantidade e ao preço dos presentes, isto continua valendo também.

Lembram-se da sugestão de ir comprando presentes neutros e genéricos sempre que encontrassem uma boa oportunidade, para criar um mini-estoque a ser usado em eventos que nos pegam de surpresa? Mesmo os que fazem lista de natal sempre tem uma coisinha de última hora.

Mudando do racional para o romântico, outra sugestão é fazer o seu próprio presente. É claro que primeiro devemos considerar as necessidades e gostos do outro, que normalmente não são iguais aos nossos. O presente feito à mão faz bem a quem o confecciona e a quem o recebe. A maioria de nós possui talentos às vezes escondidos para fazer um artesanato, um desenho, uma poesia, um jantar, uma montagem, uma música, uma peça de roupa, um arranjo.

O coach Aldo Novak lembra que o seu tempo e atenção, ao escolher cuidadosamente o presente, são mais importantes do que o presente em si.  O maior presente ainda é estar presente, mesmo.

Fabricio Carpinejar fica incomodado com os sacos / cestas de presentes, veja no antigo blog dele: “O saco de presentes é ensinar a criança a quantidade, não a qualidade da amizade, é ensinar o distanciamento, não a companhia e a convivência, é ensinar a bajulação, nunca o respeito. Transmite ostentação, arrogância e individualismo.”

Será que isso não seria mais uma forma de, como já falamos antes, coisificar as pessoas?

Patrícia Cunha, mãe criativa, fez uma festa cheia de brincadeiras no aniversário de 4 anos de seu filho. As bolinhas de gel que usou na decoração da mesa com dinossauros acabaram virando munição de uma “guerra” entre convidados e anfitriões de todas as idades! Atraiu a todos para o jardim com cama-elástica, piquenique, pintura, bolas de sabão gigantes, banda de música, artesanato e até mangueira… Na parte de dentro bloquinhos e peças de montar, entre outros jogos, com pouca tecnologia e muita interação entre as pessoas. Detalhe – o mini-aniversariante participou de toda a preparação e amou a festa. Os pais sairam cansados de tanto brincar também, mas já haviam sido avisados que o traje deveria ser “sujável”…

para aquela situação da criança ganhar dinheiro de parentes, fica uma sugestão corajosa e muito educativa que uma madrasta (não gosto desse título, aliás de nenhum, mas é só para identificar) relatou:

o enteado ganhava dinheiro para comprar um brinquedo. ela levava a criança na loja para escolher o brinquedo e levantar com ele os prós e contras de cada um, só que … o lanche ele também pagava! ou quando ele ganhava dinheiro para ir ao cinema, mas queria também ir nos brinquedos e comer um lanche, então…

achei interessante no sentido de lembrar que uma ida a um shopping center tem sempre custos a mais, como estacionamento por ex. que a criança ainda não percebe.  ela quis mostrar que o fato de ser uma adulta não a torna automaticamente uma pagadora de contas, que há uma diferença entre pagar por obrigação e de coração e que se por um lado ela tinha mais, por outro o dinheiro dele veio mais fácil.